Casa onde Ian Curtis cometeu suicídio irá virar museu


  No dia 18 de maio de 1980, na cozinha da casa de número 77 da rua Barton, em Macclesfield, na Inglaterra, o músico Ian Curtis, vocalista do Joy Division, atormentada pela epilepsia e depressão, colocou fim à sua vida, aos 23 anos, se enforcando. 35 anos após o trágico acontecimento, o imóvel foi comprada por um fã que irá transformá-la em um museu.
  O músico e empreendedor Hadar Goldman adquiriu a casa por aproximadamente 1 milhão de reais, quase o dobro do valor pedido inicialmente, já que outro comprador estava negociando a residência e Hadar teve de arcar com as despesas para reverter o processo iniciado.
  Em fevereiro, um grupo de fãs iniciaram uma campanha para arrecadar dinheiro  já com o objetivo de transformar o lugar em museu, no entanto, a iniciativa não vingou, pois não conseguiram juntar o valor necessário. Os fundos conseguidos foram repassados para instituições de caridade. Segundo Hadar, esse foi um dos motivos que o levaram à empreitada.
Embora tenha pago 190 mil libras – quase o dobro do valor pedido – senti que tinha que me envolver, especialmente depois de sentir o sofrimento dos fãs que falharam em angariar os fundos necessários para comprar a casa onde vivia um dos heróis musicais da minha juventude."
  A novidade divide opiniões entre os ex-integrantes do Joy Division. O baixista Peter Hook já declarou total apoio ao projeto, no entanto, o guitarrista Bernard Sumner teme que o local se torne um monumento ao suicídio e afirmou que "não é bem um local ao qual gostaria de ir".

Fonte: tmdqa
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário